segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Os direitos dos leitores - opinão

No segundo teste escrito das turmas A e B do oitavo ano, no Grupo IV, pedia-se aos que escolhessem um dos direitos do leitor de Daniel Penanac e que expusessem a sua opinião sobre o direito escolhido.

Publicamos um dos textos resultantes dessa proposta:

"O direito de amar os heróis dos romances"

Quem já não amou secretamente o heróis de um romance? Quem ainda não amou que se imponha. Eu já amei, não escondo isso.  Acho que temos todos o direito e liberdade de um amor seja o herói de um romance seja uma pessoa real. Sonhar que somos nós a viver aquela aventura/amor da história, mesmo que seja na terra dos sonhos, no nosso subconsciente. 
Estar apaixonado dá-nos "beleza". Torna o nosso dia mais "bonito", mesmo que seja por uma personagem de uma história. Isso dá-nos felicidade para a nossa vida. Pelo menos para mim. Deu também muito jeito  para a nossa vida. Ficamos inspirados. Talvez amar seja a Primavera que nunca passa para o Outubro para as flores fecharem e as folhas caírem. Sei também que há alguns amores que passam de Primavera logo para o Inverno em segundos , apenas com uma palavra, "acabou" ou um sinónimo "fim".
Não concordo com isso, acho que uma história  não deveria acabar só porque chegou o ponto final da última frase. Devemos escrever a nossa continuação. E isso inclui continuar a amar o herói do romance.

                                                                                                                      Catarina Paulino (8B)


Sem comentários: