quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Dizer poemas - II

A propósito desta atividade, já estão construídos outros dois recursos que de seguida publicamos.




Escrever poemas...

Na atividade inicial de motivação ao estudo do texto poético, no 8º ano (8A e 8B), a propósito da entrevista a Manuel António Pina, "O Refúgio da  poesia" (proposta de leitura no manual adotado, Diálogos | 8, da Porto Editora, página 27), e porque na conversa, o entrevistado afirma, a certa altura, que "parte para um poema de uma palavra isolada" e também fala dos afetos pelas palavras, noutro momento, propusemos aos alunos que, primeiro, escolhessem uma / a palavra preferida. Depois, numa segunda etapa, fizessem um poema a partir dessa palavra.

Vamos, neste post, publicar alguns desses poemas: 

Imprensa

Imprensa ?
É uma palavra estranha,
Agora pensa
Numa montanha

Tiraste-lhe uma foto,
E queres imprimir,
Graças à impressora...
A imprensa pode existir !
                  Camila Canôa

 A amizade

A amizade é maravilhosa!
Maravilhosos são os amigos verdadeiros.
A amizade não tem limite!
Não tem fim o amor pelos nossos amigos.
Tenha pele escura ou clara, será bom amigo
Porque a amizade não é racista.
Os verdadeiros amigos ficam até à morte.
As pessoas que gozam não são amigas.
A amizade é maravilhosa.
                        Anita Ferreira 


Poema- O mar

Uma palavra, uma emoção

O mar entra pelo coração!


Uma onda vai, uma onda vem

Pensamento e sentimento também.


Boas lembranças me traz,

Acredito que sou capaz…


Com as ondas a cantar

Fico a olhar para o mar…
                      Catarina Sampaio

    
Caminho
    
    Por um caminho
    Vamos passear
    Muito devagarinho
    Até acabar

    Nesse caminho
    Vamos explorar
    Sempre de beicinho
    Por cima do colar

    É mesmo baixinho
    Este meu caminho
    Que nunca mais acaba
    Como um azevinho
                     Beatriz Leitão

Dizer poemas

No final do ano passado, naquela que foi a última atividade, propôs-se às turmas do sétimo ano que escolhessem um poema que depois seria lido em voz alta. Esse momento seria gravado, caso os alunos consentissem para, posteriormente, serem feitas pequenas animações. 
Só agora foi possível começar a construir essa ideia.
Publicamos dois dos recursos. Iremos atualizando, conforme for sendo possível continuar a desenvolver o trabalho. 




À maneira de Camões... - I

A propósito do estudo do poema "Amor é fogo que arde sem se ver", de Camões, pediu-se aos alunos que cada um escrevesse uma frase onde definissem 'amor'. Publicamos, para já, o resultado da atividade, no 8A. Mais tarde, publicaremos o produto final respeitante ao 8B.
(Clicar nos recursos que a seguir se publicam para ver melhor.)