quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Dizer as palavras - A PAZ

Na sequência do trabalho desenvolvido em anos anteriores na rubrica Dizer as palavras, começamos, neste ano, com a publicação de um episódio subordinado ao tema da paz.

O trabalho contou com a participação de seis alunos das turmas A e B do oitavo ano: Cíntia Guerra, Inês Gomes, Jessica Oliveira, Mariana Ribeiro, Miguel Ferreira, e Soraia Marques.



Homem sozinho - um quase poema...

O recurso que a seguir se publica é o resultado da proposta de uma atividade na plataforma Moodle, na disciplina e-português.
Foi feita a seguinte proposta às  turmas 7E, 8A e 8B:




A escultura que serve de "mote" é de Elizabeth Price, ceramic sculptures.

Responderam ao desafio dezassete alunos. Com as suas participações, construiu-se o quase poema que agora publicamos. Desta vez, e porque à experiência, o quase poema é dito pela voz da professora.


segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Os jovens e o uso do telemóvel

Na 4ª oficina de escrita, nas turmas A e B do oitavo ano, partindo da leitura de um texto argumentativo com sobre a utilização de telemóveis por parte dos mais jovens ("Telemóvel: proibir ou educar?"), pedia-se aos alunos que construíssem o seu próprio texto argumentativo, defendendo a sua posição. (Proposta do "Caderno de Apoio ao Aluno",  pág. 25, Manual, Diálogos/8ºAno, Porto Editora).

Publicamos, de seguida, um dos textos produzidos em sala de aula:

Hoje em dia, os jovens utilizam bastante o telemóvel e cada vez mais cedo! Gostava de referir também que não concordo com "as  crianças não devem ter telemóvel antes dos 12 anos", pois acho que o telemóvel é algo que nos pode ajudar bastante; por exemplo, acontece uma emergência, algum assunto que possa estar a afetar a criança/jovem.Este é um dos motivos em que o telemóvel pode ser usado como meio de comunicação para a criança/jovem possa pedir ajuda. Efetivamente, que o telemóvel não serve só para este tipo de situações de tal forma também podemos utilizá-lo para a utilização de divertimento (jogos), ouvir música e outro tipo de utilizações...Será que também há algumas situações que possam prejudicar a pessoa que dá utilidade ao telemóvel? Claro que sim, mas, apesar de haver algumas "coisas" no telemóvel que possam afetar a pessoa que o está a utilizar isso acontece não só no telemóvel mas como tudo na vida! Na minha opinião, penso que é preciso apenas ter cuidado.
Cíntia Guerra (8B)