quinta-feira, 4 de outubro de 2018

terça-feira, 24 de julho de 2018

"15 min. de leitura por dia, nem sabe o bem que faria!"

No ano letivo de 2017/18, fomos desafiados para participar no "ESPAÇO ESCOLA", iniciativa integrada na Programação do Festival Literário "Livros a Oeste", cujo objetivo era divulgar as melhores práticas em torno do livro e da leitura, nas Escolas. ​ Consideramos relevante que desde 2005/06, na nossa escola / agrupamento, venha a ser desenvolvido, ininterruptamente, um projeto de leitura que ao longo dos anos proporcione aos alunos a aquisição do hábito da leitura. Assim, e porque na sua consecução são promovidas e desenvolvidas atividades que decorrem da aquisição do hábito da leitura, este seria um momento próprio para a sua divulgação junto da comunidade educativa da Lourinhã. ​ ​ Assim, resolvemos propor uma atividade de divulgação do projeto, tendo como público-alvo a comunidade educativa e com os seguintes objetivos: ​ - Divulgar à comunidade um dos projetos de leitura desenvolvido no AEDLV desde o ano letivo de 2005/06; - Promover a interação entre a escola e a comunidade pela leitura e a sua importância no sucesso das aprendizagens dos alunos e formação do indivíduo. ​ Propôs-se a apresentação dinâmica do projeto com a participação ativa de alunos e professores que envolvidos no projeto. 

terça-feira, 26 de junho de 2018

História da língua | RECURSO DE APRENDIZAGEM

Recurso criado para acompanhar o trabalho desenvolvido no âmbito do estudo da história da língua | FENÓMENOS FONÉTICOS - Aulas de português | 3.º Ciclo. 
NOTA: A apresentação original (ppt) tem animações.

Pronominalização & Adjacência verbal_PERCURSO DE APRENDIZAGEM

Recurso criado para acompanhar o trabalho desenvolvido no âmbito do estudo dos pronomes e adjacência verbal - Aulas de português | 3.º Ciclo. 
NOTA: A apresentação original (ppt) tem animações.

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Proposta de trabalho para avaliação formal da oralidade (3P)

Habitualmente, distingue-se entre as propostas feitas aos vários anos de escolaridade. Ainda assim, no presente ano letivo, e porque se alterou a metodologia de trabalho em sala de aula optando-se por, sistematicamente, desenvolver práticas ativas, neste último período, sugeriram-se duas atividades que, pese embora, se distingam naquilo que seja o produto final, têm em comum o facto de resultarem de um processo de aprendizagem que pretende, em ambiente de trabalho maioritariamente cooperativo, que os alunos apreendam os conteúdos e alcancem os objetivos / metas, evoluam enquanto cidadãos e desenvolvam a criatividade.
No final do ano letivo, divulgara-se-á um documento construído ao longo da segunda parte do ano letivo onde os princípios desta metodologia adotada será desenhada. 

Assim, mantendo uma estrutura, portanto matriz, muito semelhante, propuseram-se duas atividades para a avaliação formal da oralidade;
- 8.º Ano: Português | 3D (ATIVIDADES).
PROPOSTA EM REGISTO ÁUDIO

Mais tarde, serão publicados alguns dos produtos finais que se pretende sejam em registo áudio.










quinta-feira, 24 de maio de 2018

O ROTEIRO | Propostas de atividade (uma de articulação com história)



1.ª PROPOSTA
ATIVIDADE: "Palácio de Queluz" (Visita de estudo) | ROTEIRO (atividade com articulação horizontal (história português
OBJETIVO: Fazer um roteiro (PORTUGUÊS) sobre o conteúdo de uma visita de estudo (HISTÓRIA)
ESPAÇO: Aulas de português e história + aulas de apoio de português
TEMPO: cerca de 90 min. (em sala de aula) + 2H00 de trabalho autónomo

ATIVIDADE: Receção ao 5.º Ano | ROTEIRO 
OBJETIVO: Fazer um roteiro sobre a escola EB Dr. João das Regas dirigido aos alunos que irão frequentar o 5.º ano
ESPAÇO: Aulas de português + aulas de apoio de português
TEMPO: cerca de 90 min. (em sala de aula) + 2H00 de trabalho autónomo

sábado, 14 de abril de 2018

A importância dos sonhos e dos ideais na vida das pessoas e na evolução da Humanidade

No primeiro teste do segundo período do oitavo ano (turmas D e E), pediu-se aos alunos que, partindo de alguns versos de "Pedra Filosofal" de António Gedeão, escrevessem um texto de opinião, que pudesse ser publicado num jornal escolar, sobre a importância dos sonhos e dos ideais na vida das pessoas e na evolução da Humanidade, apresentando as razões que sustentam o seu ponto de vista.

Publicamos, de seguida, um dos textos:

Neste texto irei exprimir a minha opinião sobre a importância dos nossos sonhos e dos ideais na vida das pessoas.
Quando somos pequenos e nos perguntam o que queremos ser quando formos grandes, todos dizem bombeiro, médico, veterinário, cabeleireira. A partir daí nós temos um sonho que se pode concretizar, ou nem por isso, mas se o queremos mesmo, mas mesmo, temos de nos esforçar e trabalhar para o conseguirmos.
Hoje em dia, só nos importamos com as coisas que temos, telemóvel, roupa, carro, casa, por aí, mas as coisas mais importantes da vida, não são coisas mas sim pessoas, sentimentos. Antes de tudo existir (as coisas), as pessoas eram felizes sem telemóvel, sem carros, às vezes sem brinquedos ou jogos para se divertirem, mas mesmo assim, como já referi, não deixavam de ser felizes, de se divertirem, de sorrir.
Eu sei que passamos momentos difíceis, uns dias piores, outros melhores, mas o importante é que não nos deixemos ir abaixo, e pensarmos: Hoje posso estar mal, mas amanhã vou conseguir estar melhor, isto é quase como um sonho, porque vamos concretizá-lo estando amanhã melhor.
Para concretizarmos os nossos sonhos, temos de passar por muito para lá chegarmos, é quase como um torneio, nós queremos levar a taça, concretizarmos os nossos sonhos também é valioso, porque se queres muito concretizá-lo e conseguimos é porque passamos por muito até alcançá-lo.
Por isso, se temos um sonho, e ainda não foi concretizado, devemos fazer de tudo para o conseguir, para conseguir a taça no fim do torneio.
 Carolina Mateus

sexta-feira, 13 de abril de 2018

"A Onda" - apreciação crítica | Articulação curricular Horizontal (PORTUGUÊS e HISTÓRIA)

ATIVIDADE: "A Onda" | Apreciação crítica
OBJETIVO: Fazer uma apreciação crítica (PORTUGUÊS) do filme "A Onda" (HISTÓRIA)
ESPAÇO: Aulas de português e história
TEMPO: cerca de 90 min. 
DESCRIÇÃONeste trabalho pretende-se que o aluno seja capaz de elaborar uma apreciação crítica (PORTUGUÊS) sobre um filme subordinado a uma temática estudada na disciplina de história, no caso, os regimes ditatoriais. 
Desenhou-se a atividade de maneira a que os alunos pudessem desenvolver o trabalho de escrita com a supervisão das professoras em sala de aula.

Publicamos alguns dos trabalhos das turmas A e B do nono ano:

Durante as últimas aulas de história, assistimos ao filme A Onda realizado por Denis Gansel, inserido no estudo da matéria dos regimes ditatoriais.
Em geral, gostei muito do filme por abordar um assunto tão importante como os fascismos que já existiram na Europa.
O filme fala sobre um projeto realizado numa escola sobre a autocracia. De início, as aulas estavam a correr bem, mas, com o passar do tempo, chegou-se a extremos. “A Onda” defendia a igualdade, a violência contra todos os que se opunham, o militarismo, a obediência incondicional ao líder (todas elas características de fascismos).
Sem se aperceber, o professor fez com que todos os alunos defendessem estes princípios e quando tentou remediar a situação já era tarde demais. Um aluno foi alvejado, outro suicidou-se e, como esperado, o professor foi preso.
Este filme foi trabalhado na aula de história por conseguir demostrar de uma forma simples o que é o fascismo e o que defende e por demonstrar o quão fácil é ganhar apoiantes.
Ao ver o filme foi mais fácil para mim perceber a matéria dada e apercebi-me de como podemos ser tão facilmente influenciados a pertencer a grupos que não defendem o mesmo que nós.
Catarina Sampaio
Em construção...


quinta-feira, 5 de abril de 2018

Funções sintáticas internas ao Grupo Verbal - RECURSO

Recurso criado para acompanhar o trabalho desenvolvido no âmbito do estudo das funções sintáticas internas ao Grupo Verbal (FS_GV). 
Aulas de português | 3.º Ciclo). 
NOTA: A apresentação tem animações. 

Funções sintáticas a nível da frase - RECURSO

Recurso criado para acompanhar o trabalho desenvolvido no âmbito do estudo das funções sintáticas a nível da frase (FS_NF). 
Aulas de português | 3.º Ciclo). 
NOTA: A apresentação tem animações.



quarta-feira, 4 de abril de 2018

9.º Ano. E agora? - Oralidade_9Ano | 2P

ATIVIDADE: 9.º Ano. E agora?!
OBJETIVO: Fazer uma apresentação oral, seguindo orientações prévias
ESPAÇO: Aula de português
TEMPO: 5 min. 

DESCRIÇÃO: A proposta é feita em sala de aula com três semanas de antecedência. É apresentado aos alunos com a descrição sumária dos vários momentos da atividade e que devem ser seguidos. A temática proposta relaciona-se com o facto dos alunos estarem a concluir o 3.º Ciclo e terem, já no final deste ano letivo, de decidir, pelos menos, a área de estudos a seguir. É um momento de dúvida e alguma ansiedade. Assim, sugerimos este trabalho que talvez ajude a organizar ideias. O trabalho deve ser apresentado em dois momentos, no primeiro os alunos descrevem sumariamente o seu percurso escolar, descrevendo-se como estudantes, referindo aspetos mais relevantes. Na segunda parte, exploram as possibilidades de futuro.  
Dá-se a possibilidade dos alunos enviarem para pré-avaliação o recurso. 

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Biografia - Oralidade_8Ano | 2P

ATIVIDADE: Biografia
OBJETIVO: Fazer uma apresentação oral, seguindo orientações prévias
ESPAÇO: Aula de português
TEMPO: 5 min. 

DESCRIÇÃO: A proposta é feita em sala de aula com três semanas de antecedência. É apresentado aos alunos com a descrição sumária dos vários momentos da atividade e que devem ser seguidos. A temática proposta envolve um trabalho anterior: texto biográfico. Ou seja, durante o período sugeriu-se que os alunos recolhessem informações sobre alguém que conhecessem e fizessem, em sala de aula, um texto biográfico seguindo a estrutura apresentada. O que se pede para a apresentação oral é que os alunos façam a apresentação da biografia dessa pessoa, partindo do texto biográfico.
Dá-se a possibilidade dos alunos enviarem para pré-avaliação o recurso. 

terça-feira, 27 de março de 2018

Dia Mundial da Poesia | 2018

ATIVIDADE: "Dia Mundial da Poesia"
OBJETIVO: Comemorar o Dia Mundial da Poesia
ESPAÇO: Aula de português (sala 12)
TEMPO: 45 min. 

DESCRIÇÃO: No princípio da aula, antes dos alunos entrarem, cola-se em cada mesa usada pelos alunos 4 post-it notes. Já durante a aula, e como atividade prévia, explica-se a atividade, pedindo aos alunos que "façam acontecer a poesia" através de uma palavra, expressão, frase, verso e/ou desenho. 
De cada vez que um post-it esteja concluído, o aluno deve ir colá-lo nas portas do armário da sala. 
O trabalho pode ser desenvolvido individualmente ou a pares. 

NOTA: Fez-se um vídeo para ilustrar a atividade e partilhar a iniciativa.


sábado, 24 de fevereiro de 2018

Texto publicitário

Recurso criado para acompanhar o trabalho desenvolvido no âmbito do estudo a publicidade. (Aulas de português | 3.º Ciclo).
NOTA: A apresentação tem animações.  

À maneira de Camões...

A propósito do estudo do poema "Amor é fogo que arde sem se ver", de Camões, tal como vem sendo hábito, já que é uma tarefa que tem resultado, pediu-se aos alunos que cada um escrevesse uma frase onde definisse 'amor.

(Clicar nos recursos que a seguir se publicam para ver melhor.)







quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

O livro da minha vida - Oralidade_9Ano | 1P

ATIVIDADE: O livro da minha  vida
OBJETIVO: Fazer uma apresentação oral, seguindo orientações prévias
ESPAÇO: Aula de português
TEMPO: 5 min. 

DESCRIÇÃO: A proposta é feita em sala de aula com três semanas de antecedência. É apresentado aos alunos com a descrição sumária dos vários momentos da atividade e que devem ser seguidos. A temática proposta está inserida numa das propostas do manual usado (Diálogos 9, Porto Editora), a partir da exploração de um excerto do romance texto O meu pé de Laranja Lima, de  José Mauro de Vasconcelos e partindo do visionamento deste vídeo onde Jorge Gabriel apresenta esse romance como sendo o livro da sua vida.
Dá-se a possibilidade dos alunos enviarem para pré-avaliação o recurso. 

Publicamos alguns dos trabalhos:

9A

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Local onde não posso ir, mas gostava - Oralidade_8Ano | 1P

ATIVIDADE: Local onde gostava de ir, mas não posso
OBJETIVO: Fazer uma apresentação oral, seguindo orientações prévias
ESPAÇO: Aula de português
TEMPO: 5 min. 

DESCRIÇÃO: A proposta é feita em sala de aula com três semanas de antecedência. É apresentado aos alunos com a descrição sumária dos vários momentos da atividade e que devem ser seguidos. A temática proposta não envolve qualquer trabalho anterior, no entanto, faz parte de um conjunto de trabalhos que envolvem a descrição.
Dá-se a possibilidade dos alunos enviarem para pré-avaliação o recurso. 

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Sobre a esperança

No quarto teste escrito de uma das turmas do oitava ano, no Grupo IV | Escrita, pedia-se aos alunos que refletissem sobre a seguinte afirmação:

A esperança, num mundo de crise como o nosso, ajuda-nos a viver a todos, em especial os jovens. A sua reflexão, além de estruturada, de conter pelo menos dois exemplos que possam ilustrar a afirmação.

Publicamos o texto de uma das alunas:


Na minha opinião, esta frase é verdadeira, porque se nós tivermos esperança de que alguma coisa vá correr bem, ela corre melhor do que se não houver esperança.
A esperança é uma coisa muita benéfica para  nós, porque nos leva a acreditar que quase tudo é possível.
Os jovens que vivem com esperança, vivem mais calmos, em relação à vida pessoal e à vida profissional, como a escola.
As pessoas que não têm esperança, acredito que vivam de uma forma mais stressada com a vida. Essas pessoas devem achar que tudo lhes corre mal, mas, se tiverem alguma esperança, vão ver que tudo parece mais interessante e fácil. Em especial, os jovens devem viver com esperança, para que tenham objetivos para o seu futuro, apesar do que corre menos bem. Isso vai ajudá-los a terem uma motivação para melhorar.
Um exemplo que demonstra esta afirmação é, por exemplo, quando os jovens têm esperança de que um teste lhes vá correr bem e, o teste corre-lhes bem. Outro exemplo é quando uma pessoa está doente, na esperança de ficar boa, curando-se mais rapidamente do que se calhar pensava.
Concluindo, ter esperança é muito importante e ajuda a superar alguns problemas.
Beatriz Leitão

Cartas de amor

Aquando do trabalho desenvolvido sobre a carta, uma das propostas feitas às turmas E e F do sétimo ano foi a criação de uma carta de amor. 
Publicamos o resultado final de uma aluna.


Para o meu ursinho de peluche fofinho, com muito amor ❤.

  Olá, amorzinho fofinho,
  Estás bem? Espero que estejas.                      😘                           
  Tenho tantas saudades, quero tanto os teus beijos doces, nem imaginas as saudades que tenho. 
  Lembrei-me agora... Lembras-te das minhas amigas do ano passado? Elas encontraram-me ontem no Hóquei Clube da Lourinhã durante o treino da patinagem e fomos passear. Sabes do que me lembrei agora mesmo? Dos nossos passeios, os dois, sozinhos, todos os que fizemos, ao luar, ao anoitecer, ao amanhecer... que saudades desses momentos.
  Amo-te tanto tanto tanto tanto tanto...
Quando vens cá? Depois de terminares este ano, no curso, não é? Ainda bem que é o último, porque não aguento mais estar sem ti, és o meu universo, és a estrela mais brilhante do meu universo, eu não consigo viver sem ti. 🌟🌠
  O meu coração fica preenchido quando estás a meu lado, és o ar que eu respiro.
  À medida que o tempo passa amo-te cada vez mais. O tempo passa tão lentamente meu ursinho de peluche.
  Quero viver contigo para sempre, estar sempre junto a ti, ter família contigo e só contigo, viajar e ser feliz para sempre contigo e só contigo. Não quero estar sem ti nem segundos, nem minutos, nem horas...             ❤
  Já nos imagino com 100 anos, juntos, com os nossos filhos, netos, bisnetos e se calhar trisnetos...
  Conheço-te há tanto tempo... Nunca desistirei de ti, de nós... meu docinho.

P.S.: -Tenho saudades de adormecer a teu ombro.
        -Escrito com a melhor caneta... a tua.
        -Com o meu famoso perfume.
        -Esta carta contém uma lembrancinha.

  ÉS PERFEITO!!! ❤❤❤
  MILHÕES DE BEIJOS      😘
  Do teu amor,
  Érica

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Marcadores do ano 2016/17 (última atualização)

Publicamos, hoje, os últimos marcadores deste ano. 
Podem, também, clicando em Marcadores  2016/17, ver todos os que foram feitos durante este ano.



terça-feira, 11 de julho de 2017

"Ladino" - Comentário

No sétimo ano (turmas E e F), foi estudo o conto de Miguel Torga, "Ladino". Um das tarefas propostas foi a da elaboração de um comentário (orientado).
Publicamos dois comentários.

O Pardal Manhoso
  O conto que vou comentar e referir a sua síntese chama-se ''Ladino'' do autor Miguel Torga.
  Ladino era manhoso, comilão, falso, hipócrita, velho, preguiçoso, fugitivo, medroso e um pardal que queria estar sossegado, sem responsabilidades.
  Ladino não queria saber dos outros e estava-se ''nas tintas'' para os problemas que os outros tinham, o pardal só queria saber do bem dele, sem se preocupar com nada nem ninguém.
  Como Ladino era fugitivo, fugia do filho da professora, dormia junto à chaminé para se proteger do frio... Resumindo, Ladino sabia defender-se bem das ameaças.
  Para não ter responsabilidades, Ladino não queria assumir os filhos, então, fugia para tentar não os assumir.
  A síntese deste conto é que Ladino era um pardal que só pensava nele e que tinha uma boa vida, mas que não gostavam dele.
Érica Cruz

A vida de Ladino  
   Este conto refere-se a um pássaro que se chama Ladino, e o autor é Miguel Torga. Ladino  desenrascava-se muito bem sozinho, era preguiçoso e muito manhoso. 
   
O pássaro sabia onde encontrar comida para os filhos de Cacilda e não lhe dizia, não a ajudava . O Ladino não revelava a Cacilda onde encontrar comida, porque tinha medo que a comida não chegasse para ele... Era muito esperto. Ele não se importava com ninguém, só pensava nele e só nele ! 
     Ladino podia ter dificuldades mas era sempre corajoso. Quando o pardal aprendeu a voar quase foi preciso um paraquedas e diziam- lhe para abrir as asas e para não ter medo. E como sempre Ladino conseguiu e não caiu. 
      A mensagem que este conto me deixa é que em primeiro lugar estamos nós e só depois os outros. 
Margarida Andrade

"Chaves na mão, melena desgrenhada" - Comentário crítico

No trabalho desenvolvido durante o estudo do texto poético, no oitavo ano (turmas A e B), uma das tarefas pedidas em sala de aula foi a do comentário crítico (orientado).
Publicamos o comentário de uma das alunas a propósito do soneto de Nicolau Tolentino, "Chaves na mão, melena desgrenhada".

 
O poema “Chaves na mão, melena desgrenhada”, narra um episódio entre uma mãe e a sua filha que falam uma com a outra sobre o desaparecimento de um colchão. A mãe ordena à filha ou à criada que coloquem o colchão no sítio e a filha responde-lhe com uma voz doce e com grande ironia, pois ela tinha o colchão no seu penteado. Esta ironia parece estranha à mãe, que se lança para a cara e para o penteado da filha, descobrindo o colchão.
  A expressividade da linguagem deste poema permite que a pessoa que o vai ler perceba melhor a ideia e que essa se torne mais real.
  O sujeito poético utiliza a ironia nas falas da filha para que haja uma ridicularização daquela ideia, e, o facto de a rapariga usar um colchão no toucado provoca o riso.

  O tema deste poema é uma crítica social à moda e o ponto de vista adotado por este poema foi o satírico, porque na realidade ninguém consegue colocar um colchão no toucado.
Beatriz Leitão

Retratos com histórias

Uma das propostas de escritas nas turmas do oitavo ano (A e B) foi escrever um breve retrato de alguém, salientando uma característica, à maneira de um excerto ("Silvino") de Mário Zambujal, na Crónica dos Bons Malandros. Esta proposta consta do manual adotado, Diálogos | 8, da Porto Editora, página 140.

Publicamos o trabalho de uma das alunas.

Diana, a medrosa

 
Num dia em que houve greve na escola, a Diana foi passar o dia a casa da avó de uma amiga.
  A seguir o almoço, a Diana, a amiga e a avó da amiga, foram andar a pé na ciclovia até à Praia do Areal.
  No caminho de regresso, passaram ao pé de uns armazéns em ruínas e entraram lá dentro. Passado algum tempo, quando iam a sair, viram uma cobra preta com mais de um metro de comprimento e a Diana começou logo a gritar e a chorar.
  A avó da sua amiga pegou numa cana verde e matou a cobra que ficou esticada no meio do chão. Enquanto isso, a Diana e a sua amiga voltaram atrás para fugirem da cobra.
  “E se a cobra vier ter connosco!? E se ela me fizer mal!?” – perguntava a Diana a chorar.
  O grito da Diana foi tão alto que até se ouviu num bairro lá próximo.
  A cobra já estava morta, por isso, saíram daquele sítio e deslocaram-se de novo até à ciclovia.
  Na ciclovia, a Diana sentou-se no chão, tentando-se acalmar com a ajuda da amiga.
  Foi um susto muito grande, mas já tinha passado!
Beatriz Leitão