domingo, 12 de março de 2017

sábado, 11 de março de 2017

As novas tecnologias - Texto de opinião


Nas turmas do sétimo ano (E e F), ao trabalhar a estrutura do texto de opinião, propôs-se, seguindo uma atividade do manual, que os alunos escrevem-se um texto de opinão sobre a substituição da imprensa em papel pelas novas tecnologias. A tarefa foi desenvolvida em sala de aula, em cerca de trinta minutos. Os trabalhos foram recolhidos e classificados. A devolução prevista deste tipo de trabalho é de uma semana.
Publicamos o trabalho da Inês Pereira.

As novas tecnologias

Na minha opinião, as novas tecnologias estão a substituir as publicações em papel devido a vários fatores. Como, por exemplo, visualizando notícias na internet é possível poupar tempo e dinheiro, sendo mais fácil, prático e acessível, enquanto que ir à rua, encontrar um quiosque, pagar um jornal, lê-lo e, por fim, atirá-lo para o lixo, tendo em conta que o dinheiro que pagou não valeu a pena, pois poucas notícias eram interessantes, demorou mais do que se tivesse ligado a internet, pesquisar o jornal, ler as notícias interessantes e, simplesmente, desligar a internet e tudo sem ter saído da sua cama.

Assim, neste caso, a internet é mais prática que as impressões em papel, originando na sua substituição.

Photo credit: e.gpdoc

quinta-feira, 9 de março de 2017

Marcadores do ano 2016/17 (atualização)

Publicamos, hoje mais marcadores. 
Podem, também, clicando em Marcadores  2016/17, ver todos os que já foram feitos neste ano.



sábado, 4 de março de 2017

Modelo para apresentação oral (8.º Ano) - orientações_versão light


Descrever a pintura renascentista - Articulação curricular (8 Ano)| HISTÓRIA - PORTUGUÊS

1.º MOMENTO
ATIVIDADE PREPARATÓRIA

DESCRIÇÃO: Numa aula de português, é apresentada aos alunos a estrutura e objetivos  de um texto descritivo, usando-se o recurso "Texto descritivo - apresentação". Na disciplina e-português (plataforma Moodle), em espaço próprio, é  disponibilizado o material necessário para estudo que deve ser consultado pelos alunos. 
2.º MOMENTO (duas tarefas)
1.ª Tarefa - Na disciplina de história é estudada a arte renascentista, sendo disponibilizado aos alunos o material necessário para conhecer as características desse período. A professora de história indica o quadro que será objeto da descrição.
2.ª Tarefa - Escrever um texto descritivo sobre o quadro de um pintor renascentista. Esta tarefa será desenvolvida numa aula de português. Os alunos deverão levar para a aula o material apoio necessário para escrever uma descrição pormenorizada e completa. O tempo disponibilizado para a tarefa será de 45 minutos.
3.º MOMENTO
A professora de português recolhe os trabalhos e faz uma primeira classificação do texto, quanto à forma. A professora devolve os trabalhos.
4.º MOMENTO
Os alunos passam o trabalho no computador e enviam à professora de história no prazo definido para o efeito.

PRODUTOS FINAIS

 (em construção)


*Atividade de articulação criada pelas professores Ana Crespo (história) e Rosalina Simão Nunes (Português) - Aedlv.

quarta-feira, 1 de março de 2017

Marcadores do ano 2016/17 (atualização)

Publicamos, hoje mais marcadores. 
Podem, também, clicando em Marcadores  2016/17, ver todos os que já foram feitos neste ano.




segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Desafios ortográficos | 2016/17 - Resultados (atualização)



Publicamos os resultados das 8.ª e 9.ª semanas dos Desafios ortográficos.
PARA SABER MAIS SOBRE OS DESAFIOS ORTOGRÁFICOS.


COMENTÁRIO
Pelos resultados destas duas semanas, parece que a regra respeitante às consoantes não pronunciadas estará já assimilada. O mesmo não acontece com a utilização do hífen

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Trailers de livros apresentados | 1.º Período (2016/17)

Na apresentação dos livros lidos no 1.º período, no âmbito do desenvolvimento do projeto de leitura "Ler, lazer a aprender", propôs-se aos alunos do oitavo ano (turmas A e B) que construíssem um trailer. 
Publicamos, hoje, alguns dos recursos.  

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Os primeiros marcadores do ano 2016/17


Uma vez mais, foi proposta às turmas do sétimo ano (E e F) a atividade "Marcadores", no início do 2.º período. É uma atividade que sugerimos no 7º Ano e costuma ter adesão por parte dos alunos. Propõe-se a construção de marcadores de acordo com os livros que vão lendo. Trata-se de uma atividade decorrente do Projeto de leitura "Ler, lazer e aprender". 

Partilhamos os dois primeiros marcadores apresentados:




quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Cartaz publicitário | 7Ano (Parte II)

Cont

PUBLICIDADE NÃO COMERCIAL - Promoção de uma atividade que envolvesse a vila da Lourinhã.




Cartaz publicitário | 7Ano (Parte I)

Na sequência do trabalho desenvolvido, no âmbito do estudo do texto publicitário, nas turmas E e F do sétimo, a tarefa final foi a construção de dois cartazes, em trabalho de equipa (dois elementos), comercial - promoção de um produto da Lourinhã, e não comercial - promoção de uma atividade que envolvesse a vila da Lourinhã.
O trabalho inicial de planificação do trabalho foi feito em sala de aula. Depois, os alunos tiveram cerca de duas a três semanas para construir o seu projeto.
Passamos de seguida a publicar alguns dos produtos finais da Publicidade Comercial. Noutro post, publicaremos os cartazes do publicidade não comercial.

PUBLICIDADE COMERCIAL - Promoção de um produto da Lourinhã (já existente ou "inventado".











terça-feira, 31 de janeiro de 2017

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Entrevista biográfica (7ºAno)

A propósito do estudo da entrevista, pediu-se que os alunos (7E e 7F) fizessem uma entrevista biográfica, cruzando assim dois conteúdos: a entrevista e o texto biográfico.
A turma foi dividida em grupos, tendo sido o trabalho desenvolvido em sala de aula. Foram distribuídos breves referências biográficas de autores do 7º Ano. Quanto à estrutura da entrevista, além do trabalho prévia  de compreensão de  uma entrevista, foram ainda visionados recursos disponibilizados na Escola Virtual e consultado o manual.
Publicamos alguns produtos finais:


Entrevista a Florbela Espanca

 A nossa entrevistada de hoje chama-se Florbela Espanca e estamos a entrevistá-la porque tem uma história de vida muito interessante.
Florbela Espanca foi batizada como Flor Bela Lobo, e optou  por se autonomear Florbela d'Alma da Conceição Espanca. Tem uma biblioteca com o seu nome, em Matosinhos.
Érica (E): Com que se preocupa mais, quando escreve?
Florbela (F): O que me preocupa mais é o amor, a solidão, a tristeza, a saudade, a sedução, o desejo e a morte.
(E): Por que razão se tentou suicidar?
(F): Tentei suicidar-me duas vezes, mas nessas duas falharam, soube num diagnóstico que tinha um edema pulmonar...
(E):  Que vários tipos de textos escreveu?
(F): Escrevi poesia, contos, um diário e epístolas, traduzi vários romances e colaborei ao longo da minha vida em revistas e jornais de diversa índole. 
(E):  Casou-se?
(F): Casei-me em Évora, em 1913 com Alberto de Jesus Silva Moutinho. Voltei a casar-me em junho de 1921 com António Guimarães. Divorciei-me pela segunda vez e voltei a casar-me em 1925 com o médico Mário Pereira Lage.
(E): Sofreu muito pela morte do seu irmão?
(F): Sim, ele morreu num acidente de avião, em 1927, nesse acontecimento, tentei o meu 1-º suicídio.
Florbela fez uma terceira tentativa de suicídio em Matosinhos, no seu dia de aniversário, a 8 de dezembro de 1930. A causa da morte foi sobredose de barbitúricos.
EQUIPA: Érica Cruz

Entrevista Luís Sepúlveda
“O maior sucesso dedicado a um amigo”
    
Luís Sepúlveda, em 1989, publicou o livro O velho que lia romances de amor, dedicado a Chico Mendes, e este livro foi o seu maior sucesso. Nasceu a 4 de Outubro de 1949 e é um romancista, realizador, roteirista, jornalista e ativista político. Estivemos à conversa com ele.
Entrevistador (E): Em que se inspirou ao escrever o livro ”O velho que lia romances de amor”?
Luís Sepúlveda (LS): Inspirei-me num grande amigo meu, Chico Mendes, ele gostava de ler Romances e decidir fazer um para ele.
(E): Se pudesse, escrevia outro livro?
(LS): Gostaria muito de poder escrever outro livro, talvez ainda o faça.
(E): Casar-se interferiu com o seu trabalho?
(LS): Ao início perguntavam-me se ia parar de escrever livros, mas eu não parei, e o meu filho dava-me inspiração para escrever qualquer tipo de livros.
(E): Como foi traduzir um texto para português, no meio de tantos espanhóis?
(LS): Não foi muito complicado, mas dava muito trabalho e perdia–se muito tempo, mas foi uma boa experiência na minha carreira de escritor.
(E):Como foi escrever o seu livro para crianças O gato que ensinou a gaivota a voar?
(LS): Foi engraçado, tive de entrar numa personagem infantil,na personagem de uma criança e pensar como se tivesse cinco a dez anos.
Nesta entrevista, concluímos que nos seus livros este autor fala sobre viagens, contos e histórias, sonhos e esperanças.
EQUIPA: Ana Patrícia Serralha e Rita Pereira


Entrevista a Florbela Espanca

Florbela d’Alma da Conceição Espanca, nascida a 8 de Dezembro 1830 em Vila Viçosa. Faleceu em 1930 no dia do seu aniversário. É uma poetisa portuguesa, e tem uma biblioteca em seu nome. Frequentou a escola primária em Vila Viçosa.
Entrevistadoras (E) -Onde estudou a quantos anos requentou a escola?
Florbela (F) -Frequentei a escola primária durante um ano e mais tarde ingressei no Liceu Masculino André de Gouveia em Évora, onde permaneci até 1912 e entrei na Faculdade de Direito.
(E) - Depois do secundário qual foi o primeiro livro que lançou?
(F) - A primeira obra que lancei foi o “Livro de Mágoas” em 1919.
(E) - Como correram os seus relacionamentos?
(F) - Casei-me em 1913, pela primeira vez, com Alberto de Jesus Silva Moutinho em Évora.
(E) - Porque tentou o suicídio?
(F) - Tentei o suicídio porque me foi diagnosticado um edema pulmonar, não resisti e a causa da morte foi sobredose de barbitúricos.
(E) - Quando foi que lançou o seu primeiro filme?
(F) - Lancei o meu primeiro filme em 2012 com o nome “Perdidamente Florbela” com Dália Carmo, Ivo Canelas e Albano Jerónimo.
Depois desta entrevista, ficamos a saber que Florbela Espanca era uma mulher lutadora e tumultuosa, e para a sua época teve muitos estudos.
EQUIPA: Inês Arsénio, Margarida Andrade e Carolina Mateus

Em construção...



quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

"Barca bela" de Almeida Garrett - leitura coral

Seguindo uma atividade de leitura coral sugerida pela manual - Diálogos 8, Porto Editora, apresentamos o resultado final. De registar que antes da versão final, gravada e agora publicada, foram feitos vários "ensaios".
Foi uma atividade bem participada e entusiasmante! 

Leitura coral de "Barca bela" de Almeida Garrett pelo 8A .
Leitura coral de "Barca bela" de Almeida Garrett pelo 8B.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Dizer poemas - II

A propósito desta atividade, já estão construídos outros dois recursos que de seguida publicamos.




Escrever poemas...

Na atividade inicial de motivação ao estudo do texto poético, no 8º ano (8A e 8B), a propósito da entrevista a Manuel António Pina, "O Refúgio da  poesia" (proposta de leitura no manual adotado, Diálogos | 8, da Porto Editora, página 27), e porque na conversa, o entrevistado afirma, a certa altura, que "parte para um poema de uma palavra isolada" e também fala dos afetos pelas palavras, noutro momento, propusemos aos alunos que, primeiro, escolhessem uma / a palavra preferida. Depois, numa segunda etapa, fizessem um poema a partir dessa palavra.

Vamos, neste post, publicar alguns desses poemas: 

Imprensa

Imprensa ?
É uma palavra estranha,
Agora pensa
Numa montanha

Tiraste-lhe uma foto,
E queres imprimir,
Graças à impressora...
A imprensa pode existir !
                  Camila Canôa

 A amizade

A amizade é maravilhosa!
Maravilhosos são os amigos verdadeiros.
A amizade não tem limite!
Não tem fim o amor pelos nossos amigos.
Tenha pele escura ou clara, será bom amigo
Porque a amizade não é racista.
Os verdadeiros amigos ficam até à morte.
As pessoas que gozam não são amigas.
A amizade é maravilhosa.
                        Anita Ferreira 


Poema- O mar

Uma palavra, uma emoção

O mar entra pelo coração!


Uma onda vai, uma onda vem

Pensamento e sentimento também.


Boas lembranças me traz,

Acredito que sou capaz…


Com as ondas a cantar

Fico a olhar para o mar…
                      Catarina Sampaio

    
Caminho
    
    Por um caminho
    Vamos passear
    Muito devagarinho
    Até acabar

    Nesse caminho
    Vamos explorar
    Sempre de beicinho
    Por cima do colar

    É mesmo baixinho
    Este meu caminho
    Que nunca mais acaba
    Como um azevinho
                     Beatriz Leitão

Dizer poemas

No final do ano passado, naquela que foi a última atividade, propôs-se às turmas do sétimo ano que escolhessem um poema que depois seria lido em voz alta. Esse momento seria gravado, caso os alunos consentissem para, posteriormente, serem feitas pequenas animações. 
Só agora foi possível começar a construir essa ideia.
Publicamos dois dos recursos. Iremos atualizando, conforme for sendo possível continuar a desenvolver o trabalho. 




À maneira de Camões... - I

A propósito do estudo do poema "Amor é fogo que arde sem se ver", de Camões, pediu-se aos alunos que cada um escrevesse uma frase onde definissem 'amor'. Publicamos, para já, o resultado da atividade, no 8A. Mais tarde, publicaremos o produto final respeitante ao 8B.
(Clicar nos recursos que a seguir se publicam para ver melhor.)





segunda-feira, 28 de novembro de 2016

"Ler, lazer e aprender" / 2015/16 - Balanço

À semelhança do que tem sido feito em anos anteriores, no final das atividades letivas, foi disponibilizado um inquérito a fim de se proceder ao levantamento dos dados referentes à consecução do projeto de leitura "Ler, lazer e aprender", no Agrupamento
Preencheram o inquérito os professores responsáveis pela implementação do projeto nas várias turmas: professora Ana Lúcia Mota, professora Helena Araújo, professor João Ferreira, professora Rosalina Simão Nunes e professora Sandra Barbosa.

APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS

  • Turmas envolvidas


Estiveram envolvidas 17 turmas do 3º ciclo. 










  • Livros lidos
Em 3 turmas foram lidos mais de 80 livros. 
Em 5 turmas foram lidos entre 51 a 80 livros.
Em 6 turmas foram lidos entre 31 a 50 livros.
em 3 turmas foram lidos entre 1 a 30 livros.

  • Tempo usado para a leitura silenciosa
Em 8 turmas foram usadas mais de 20 horas. 
Em 2 turmas foram usadas entre 16 a  20 horas.
Em 7 turmas foram usadas entre 8 a  15 horas.

  •  Disciplinas envolvidas
Estiveram envolvidas na consecução do projeto  13 disciplinas; português, inglês, francês, espanhol, história, geografia, matemática, físico-químicas, ciências naturais, música, educação tecnológica, DPS e educação visual.
  •  Outras atividades
Além da atividade que sustenta o projeto, quinze minutos diários de leitura silenciosa e autónoma, todos os professores assinalaram que foram feitas apresentações das leituras. Dois professores assinalaram terem sido feitos marcadores e passaportes da leitura. Um professor assinalou terem sido feitas cronologias da leitura.



sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Motivação para o estudo do texto poético - texto de opinião

Após a atividade de motivação ao estudo do texto poético estar concluída (8A) e (8B), pediu-se que os alunos refletissem sobre as várias tarefas.
Publicamos alguns dos textos:


Durante as últimas aulas de português, temos trabalhado na atividade “Motivação para o texto poético”.
Esta atividade dividiu-se em dois momentos, num deles vimos uma reportagem sobre o projeto “A poesia não tem grades” e, no outro momento, lemos e explorámos uma entrevista a Manuel António Pina.
Gostei muito de ter conhecido o projeto “A poesia não tem grades” é impressionante a forma como pessoas que estão dentro de grades gostam tanto de escrever e ler poesia!!..
.
Apesar de também ter gostado de explorar a entrevista, não gostei tanto como gostei do vídeo. Acho que não é tão importante ler a entrevista duma pessoa. Na minha opinião, o único aspeto positivo da entrevista foi a forma como o escritor demonstra o seu gosto pela poesia.
Para mim valeu a pena fazer a “Motivação para o texto poético”, porque acho que antes de dar uma matéria deve-se motivar os alunos. A forma com que fico mais motivada é com vídeos e recursos interativos, daí ter gostado mais do vídeo da reportagem.
Catarina Sampaio


Vou dar a minha opinião sobre a Atividade – Motivação para o estudo do texto poético.
Nas aulas de português, vimos um vídeo de um projeto chamado “ A poesia não tem grades”, onde várias pessoas que estão presas falam sobre a poesia. Também lemos uma entrevista feita a Manuel António Pina, e a propósito dessa entrevista, a professora pediu-nos que pensássemos numa palavra de que gostássemos mais e fizéssemos um poema com ela, isto porque António Manuel Pina fala da importâncias das palavras.
No vídeo do projeto “A poesia não tem grades”, os presos falam de como começaram a gostar mais da poesia e leem mais do que se estivessem em liberdade.  Eu acho que este projeto serve mesmo para isso, o que é uma ótima ideia!
Na entrevista, Manuel António Pina partilha algumas ideias como, por exemplo: acha que se escreve mais com palavras do que com ideias, a regra da poesia é não haver regras senão a de cada um, porque cada pessoa interpreta o poema conforme o que sente no momento e que a partir de uma palavra se pode fazer um poema.
Eu acho que a ideia de nós termos de pensar numa palavra de que gostamos e fazer um poema com ela é muito engraçada e faz com que nós tenhamos ideias diferentes e tenhamos de pensar.

Concluindo, acho que esta atividade me motivou um pouco mais e eu gostei, porque aprendi algumas coisas e aproximei-me mais da poesia. De 1 a 10, em que 1 é muito má e 10 é muito boa, avalio a atividade com 9.
Beatriz Leitão


(Em construção...)