domingo, 6 de maio de 2012

A escola e os afetos

A 8ª proposta de escrita semanal do 7º ano (turmas A e B) parte de um diálogo entre dois amigos que falam sobre o que sentem em relação às respetivas  escolas. Um diz que a escola é ótima pelo convívio entre os jovens e a excelente localização e o outro afirma que a sua escola tem um ambiente fora de série.

Assim, na proposta, pedia-se que cada aluno apresentasse a visão pessoal da sua escola, mostrando como é que a afetividade se projeta nos espaços, no ambiente humano e nas atividades.

Eis alguns dos textos:


A minha escola

A minha escola não é propriamente a melhor do país, pois todos sabemos que lhe faltam algumas condições. Ainda assim, eu gosto muito desta escola.
Mesmo com todas as dificuldades, eu acho que os professores têm sempre dado o seu melhor (embora os alunos nem sempre facilitem...).
Acho que todos os membros da comunidade educativa (alunos, professores, auxiliares…) trabalham em conjunto, tentando sempre resolver qualquer problema que surja, ajudando-se uns aos outros chegando mesmo a criar laços afetivos.
O ambiente é outra coisa que eu adoro na minha escola. É como se todas as pessoas se conhecessem, como se fôssemos uma grande família!
É através da escola que somos preparados para a vida, com a ajuda dos professores desenvolvemos as nossas capacidades que iremos aplicar depois de terminarmos os nossos estudos.
Contudo, existem alunos que muitas das vezes ou por não terem capacidades ou por falta de interesse não atingem os objetivos esperados.
Em suma, eu creio que na minha escola existem muitas oportunidades e que todos nós podemos ou devemos agarrá-las.
                                                                      Carlota Pina, 7ºA



A minha escola

Para confessar, eu gosto da minha escola! Tem coisas boas e coisas menos boas.
Vou começar pelas coisas menos boas. Acho que só encontro uma coisa: as condições físicas. Por exemplo: nas casas de banho, não há papel higiénico nem papel para as mãos. As salas de aula estão todas com pó (aliás, eu no outro dia não parava de espirrar por causa do pó...). Eu sei que atualmente estamos em crise, mas não colocarem nem que seja só o papel para as mãos? Não limparem as salas? É um exagero. 
Coisas boas encontro muitas, assim como o ambiente escola, o convívio entre alunos, professores e funcionários, a disponibilidade de uma biblioteca onde podemos requisitar livros (assim os alunos que não têm disponibilidade de comprar livros, requisitam), …
Em resumo, a minha escola é “fixe”.
Beatriz Ferreira 7ºB


A minha escola
A minha escola tem mais de trinta anos, resumidamente é velha, tem cortinas velhas, mesas velhas, cadeiras velhas e as paredes interiores nem são feitas em cimento. Mas, na verdade, eu gosto da minha escola assim. Até acho que ela nem está mal de todo, pois temos computadores novos, projetores, biblioteca, refeitório… que muitas outras escolas não têm.

Para dizer a verdade, por vezes, comparo a minha escola com a de amigos de outras escolas e chego sempre à conclusão que´, em termos físicos, a escola deles é melhor que a minha, mas, em termos de fraternidade, amizade, atividades, compreensão da parte de funcionários e professores, a minha escola é muito melhor que a deles!

Não é o aspeto físico que faz com que a minha escola seja especial para mim, mas sim as pessoas que a constituem e que fazem com que a ela não passe despercebida, como os professores que fazem blogs para colocar informações que nos podem ser muito úteis.

A minha escola até é reconhecida no estrangeiro com o Progeto Comenius. Acho que não posso pedir mais do que uma escola como esta nos tempos de hoje.

Carolina Bonifácio, 7ºB

2 comentários:

Estevao Fonseca disse...

Gostei. Muito bem. Estão de parabéns

Anónimo disse...

Muito bem