segunda-feira, 19 de maio de 2014

O livro da nossa vida

A propósito do romance O Meu Pé de Laranja Lima, uma das atividades propostas no manual (página 76) é a elaboração de um depoimento sobre o livro da "nossa" vida. A proposta foi feita. Publicamos alguns dos textos, tendo havido a possibilidade de fazer o registo por escrito ou oralmente:

Depoimento em áudio:

Vera Lucas (9ºB)

Depoimento escrito:

Na minha vida inteira, como estudante li vários livros, cómicos, romances e muitas vezes de aventura. Não posso dizer que já tenha encontrado o livro da minha vida, pois a leitura é algo que me acompanha desde pequena e decerto que continuarei a ler... Mas posso dizer que aquele que me ensinou mais, aquele que me fez refletir e que mais apreciei (por essas razões) foi “ O velho e o mar”.
Este livro baseia-se na história de um velho pescador que não tinha sorte cada vez que saía para pescar com o seu barco, nunca trazia peixe. Até que uma vez o velho navegou para mais longe… Nessa tremenda aventura lutou imenso para conseguir apanhar um peixe enorme, “o” peixe da sua vida, conseguindo ser bem-sucedido.
A história gira à volta de palavras como: “conquista”, “persistência”, “tentativa”… Daí considerar este conto “o livro da minha vida”, pois a sua moral defende precisamente os meus valores como pessoa livre. Que devemos lutar, persistir para alcançar o que desejamos sem alguma vez desistir, por outro lado, ensina que tomar riscos e não atuar pelo seguro na vida, muitas vezes leva-nos mais longe atingindo os nossos objetivos.
Lara Kwai Silva (9ºB)

Na aula de Português, a professora pediu-nos que escrevêssemos sobre o livro da nossa vida. Apesar de ainda não ter lido muitos livros e de achar que ainda não encontrei o tal livro, vou falar sobre um livro que me marcou bastante.
“Tenho 13 anos e fui vendida”… É um livro escrito pela autora Patricia McCormick. Este livro fala-nos de uma adolescente, a Lakshmi, que quer fazer de tudo para ajudar a sua família necessitada. Um dia, o seu padrasto diz-lhe que lhe arranjou trabalho na Índia como criada, porém, mal ela sabe que foi vendida para prostituição. Ao descobrir onde se encontra, Lakshmi faz de tudo para sair de lá e voltar para a sua família.
Gostei bastante de ler este livro, pois Lakshmi é uma rapariga super simples que, apesar de não viver nas melhores condições, está grata por viver. E ainda quer ir trabalhar para melhorar as condições de vida da sua família. Mas, o que mais me fez gostar deste livro foi a enorme força que a rapariga teve para enfrentar esta fase da sua vida.

Este é um livro que aconselhava totalmente para as pessoas lerem, pois mostra-nos como temos de estar gratos pelo que temos, ensina-nos a não desistir de aquilo que mais queremos e de uma certa maneira mostra-nos que nada é impossível.
Andriana Tepordei (9ºB)

O livro da minha vida
Sempre gostei de romances, até costumo dizer que sou uma romântica. Se um livro não tiver um pouco de romance, não me cativa. É mais que obvio que o livro da minha vida é um romance! Tem como título de “Amor e Chocolate”é de uma autora inglesa chamada Dorothy Koomson e tem quatrocentas e nove páginas.
Desde o inicio que o livro me cativou. Os seus acontecimentos e modos como são relatados são bastante reais para não falar do facto que a autora descreve tão bem o que as personagens estão a sentir que houve alturas em que parecia que eu conseguia sentir o que elas sentiam. É uma história encantadora, atrevida, extrovertida e carinhosa, tudo o que alguém pode crer ler.
Em suma, afirmo com toda a certeza que este livro me marcou, pois sempre que falam em histórias que me tenham chamado a atenção lembro-me dele, não só por me fazer ver a vida de uma maneira diferente mas também porque a personagem principal do livro era parecida comigo em termos de mentalidade.
Carolina Bonifácio (9ºB)

Eu, já li alguns livros. Uns antes e uns depois daquele que mais me marcou e donde pude retirar lições para a minha tão recente viagem pelo caminho da vida. Os livros que li depois nada mudaram na minha preferência.
O livro da minha vida é, e acho que sempre será, A Culpa é das Estrelas. Este livro foi escrito por John Green e em páginas não é grande, sendo de apenas 257 páginas … Mas, no seu conteúdo é rico. John Green conseguiu prender-me de tal maneira no livro que escreveu que eram seguidas as horas que passava a lê-lo.
Este livro fala acerca de dois jovens, Hazel e Angustu,s que irão morrer, pois estão em fase terminal de um cancro. Sim, é um pouco triste, mas durante o pouco tempo que lhes resta decidem juntos ultrapassar todos os obstáculos que poderem surgir e juntos vão experimentar algo que nunca antes conheceram: O verdadeiro amor. Com o tempo eles conhecem-se e juntos vão formando um pequeno infinito de amor, esperança e uma espécie de felicidade.
Eu retiro uma grande lição deste livro. Eu e todos nós devemos, temos que ser felizes. Todos temos problemas, é certo, mas se nos dedicarmos só a eles, então, para quê viver? Se fosse no meu caso, se eu soubesse que um dia muito próximo eu iria morrer, provavelmente ficaria na minha cama á espera de morrer. Mas eles não, então acho que devemos, por vezes, ignorar os nossos problemas. Uns são maiores outros mais pequenos mas desistir nunca … 
Cátia Santos (9ºB)

O livro da minha vida chama-se "A menina Dança?" e é da autoria de Rita Ferro. O livro relata a história de uma mulher chamada Madalena, que era jornalista, muito impulsiva e empenhada, que para fazer uma reportagem sobre uma casa de alterne infiltrou-se lá, trabalhando como prostituta.
 Madalena, sempre fora impulsiva, e isso percebe-se quando ela conta como conheceu o marido. Ela conta que foi a uma festa e quando se vinha embora ele pediu para levá-la a casa. A partir daí as coisas foram desenrolando-se e passado uma semana já viviam juntos.
Considero este o livro da minha vida porque, tal como a personagem principal, eu não olho a meios para atingir os fins. E também porque me ensinou que não devemos mentir às pessoas só para as proteger, porque muitas vezes elas acabam por ficar zangadas connosco.
 Gostei muito do livro, porque tem uma história delicada, que é tratada sem pudores, e com subtileza. Também gostei do facto do livro ser sempre escrito dirigido a Jorge, o marido de Madalena.
Inês Baltazar (9ºB)


Sem comentários: