domingo, 16 de novembro de 2008

O meu amigo

O meu amigo
É um fruto
É um figo
É algo em bruto
E deixe-mo-nos de rimas sem sentido
Pois aquilo que foi dito atrás foi tudo mentido


O meu amigo comprou um guitarra
Mas ele mais parece uma cigarra
E não gosta de tocar
Para a guitarra ele está-se borrifar

Ele conta-me essas coisas
Todos os dias
Só me faz lembrar o evangelho de Moisés
E às tantas de Isaías

Mas ele não se importa
E mal se comporta
Só lhe importa o que tinha
Eu acho que me matava se a vida dele fosse minha

Ele não quer saber de nada
Nem se leva uma chapada
Ele é um sem-vergonha
E de todos ele leva na fronha

Por isso o meu amigo é um idiota
Parece algo pegajoso como compota
Ele é um idiota
Ele é um idiota...
Um idiota...
Esse idiota...
Nem sabe andar de mota...
(Nem eu)
E mais ele no agora mesmo faleceu

Dominique, 8º D

Sem comentários: