quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Um magnífico dia de Verão

Estava um magnífico dia de Verão… O Sol brilhava no horizonte, o azul do céu era tão luminoso que invadia o nosso coração. Contudo eu não estava nos meus melhores dias: os meus pais queriam ir para a praia, só que eu não estava nada disposta a passar um dia inteiro com eles (mesmo sendo na praia), mas também não e apetecia ficar sozinha.

Mergulhada nestes pensamentos quase não ouvi o telemóvel a tocar; era uma amiga de Lisboa que tinha acabado de chegar, com alguns colegas, e convidou-me para eu ir com eles para a piscina, Naturalmente que fiquei muito entusiasmada porque era mesmo daquilo que eu estava a precisar para ter um excelente dia. Na realidade, só precisava de convencer os meus pais, quer dizer a minha mãe o que não foi muito difícil.

Rapidamente preparei tudo o que iria necessitar para aquele dia e telefonei à minha amiga para lhe dizer que já estava pronta para ir; combinámos encontrarmo-nos junto à escola (penso que é um dos poucos sítios que ela conhece da terra onde vivo).

É claro que eu fui o mais depressa que podia e antes de sair certifiquei-me que não me faltava nada. Depois finalmente saí de casa e dirigi-me à escola (acho que foi das poucas vezes que fui feliz para a escola).

Quando lá cheguei estavam todos à minha espera para irmos embora. Tudo correu bem, chegámos em menos de 30 minutos. Entrei para o local da piscina, e fomos logo a correr para colocarmos as nossas malas e toalhas no chão e fomos para a piscina.

Para mim o momento em que se deu o nosso primeiro mergulho do dia foi fantástico; o contacto do corpo com a água é uma sensação incrível.

Mas neste caso, existiu algo que não estava planeado, a parte de cima do biquini da minha amiga, tinha saído e ela não o encontrava. Eu saí da piscina e fui buscar a toalha dela para ela poder sair de dentro da piscina.

Andámos o resto do dia a tentar encontrar mas nada encontrámos. Quando íamos embora para casa, deparamo-nos com o biquini em cima do chapéu-de-sol do nadador salvador. Foi uma autêntica vergonha.

É óbvio que a situação na altura não foi divertida mas agora, cada vez que falamos disso, é um motivo de grande risada.

Rita Silva, 9ºC


Sem comentários: