quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Poema


Mas o céu sempre foi belo,

mesmo quando a noite era escura.

Porque não será o amor tão belo como o céu?

Belo ele é, mesmo quando se torna escuro.

Por isso digo, era belo o meu pequieno e rasgado sorriso,

era belo o meu amor.

Mas dragão estava insatisfeito, enrraivecido.

Seria belo não o ter no peito?

Nem medo, nem remorsos, nem vaidade.

Valerá a pena?

A dura da realidade.

A dura viagem que terei pela frente.

Mas por entre a tempestade irei ao seu encontro.

Perguntai-me: Valerá a pena?

Responderei: Sim, valerá a pena.


Inês Rodrigues, 9ºA

Sem comentários: